Lidando com um coração partido com memes

Hey ho, pitchuletes amadinhas...

"Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?", já dizia nosso poeta Renato Russo. No mundo do fast food, onde a gente quer tudo muito rápido e tem até cardápio de crush (vulgo tinder), as pessoas agem como se a pegação e o sexo fossem totalmente independentes de sentimentos. Infelizmente, ninguém está isento de sentir, esse verbo irregular transitivo direto, porque quem sente, sente algo, sente por alguém e sente de várias formas.



Muitas vezes nos enganamos, nos forçamos a sentir, queremos sentir, mas uma coisa eu digo: é um erro investir o sentir no simples querer. Não que seja errado tentar, mas quando vemos que algo não está dando certo, a insistência pode ser desastrosa.




O que posso dizer, como mulherzinha de carteirinha? Já sofri por amores, dos melhores, dos que valiam a pena, aos piores e mais ridículos. Mas ultimamente, acreditei que a dor emocional fosse coisa da adolescência, quando na verdade quanto mais adulto a gente fica, mais a gente sente, porque a gente tem a disponibilidade e muitas vezes a liberdade de se entregar mais, de se envolver até o talo, o que acaba infestando nossa cabeça e coração com vislumbres futuros, monstrinhos que se criam sozinhos e vão poluindo nossa noção, nossa razão. E acabamos muitas vezes indo com muita sede ao pote, andando num compasso mais rápido que a outra pessoa, e aí vem a desilusão, que mesmo que não seja amorosa ainda, pode trazer um tsunami de emoções, e entre a emoção, claro, a dor.

E aí quando você entende que a sua projeção na verdade é só sua, você fica assim:



E a internet com seu novo método de indiretas bem sucedidas, os memes, bem cabem nesse post:


A verdade é que somos seres complexos, e entregamos para as pessoas apenas pedaços de nós. Quando nos envolvemos emocionalmente, pegamos esses pedaços de personalidade e vamos juntando, montando um quebra-cabeça onde criamos a nossa visão sobre a pessoa. Nunca vamos saber o que ela está pensando, o que ela está sentindo, a não ser que ela te diga claramente, te deixe entrar. Porém, em uma realidade onde a gente não quer que as pessoas saibam sobre nossas feridas, e nos vejam sempre lindos em fotos com filtro no instagram, obviamente pouca gente vai te deixar ver suas cicatrizes. Todos querem ser, se não perfeitos, o melhor possível.




O grande problema é quando a coisa se destoa, e você ainda quer. Quer por que quer, talvez por infantilidade, talvez por carência, talvez por não aceitar e se sentir rejeitado, enfim... quer. E tudo piora, e a sua personalidade e sua dignidade são colocadas na balança. Mas acredite, não é amor. Porque nós ainda somos seres humanos, nós amamos qualidades e defeitos, e amamos pessoas inteiras. Nesse momento em que se encontra, você até ama... mas ama a projeção que você criou. Porque se não conhece a pessoa por inteira, não tem como amá-la.




Vejo pessoas fazendo besteira em nome desse sentimento que acham ser amor, mas nada mais é que ansiedade, urgência, medo da rejeição, o querer. E qual minha vontade?


Porque tem hora, né amigos, que a gente perde tanto a noção, que da vontade de se socar mesmo. Mas qual o meu conselho?


Hahahahaha exatamente, você não tem poder sobre outras pessoas, nem em como elas agem e sentem. Não adianta reler conversas mentalmente, tentando achar uma brecha pra acreditar que a pessoa queria realmente alguma coisa. Quem quer, não se ausenta, mesmo que queira um pouco ou menos que você, mas queira de alguma forma. Dói entender isso, eu sei. Mas se ela ou ele foram embora... e não voltam, mesmo que te deem alguma esperança (cuidado com isso, porque tem gente que curte ego massageado viu, e podem estar te deixando na geladeira), se a pessoa não está do seu lado em pelo menos algum momento, nem que seja só pra te pegar, sério... você tem que seguir em frente.


Afinal... pegar todo mundo pega, mas importa realmente é quem fica...



A gente sofre porque não é fácil lidar com um coração partido. Por que mesmo não amando, eu falo em coração partido? Porque nós amamos de alguma forma, alimentamos uma projeção, uma ideia, cada noite, cada dia, cada oi, cada beijo. Ninguém está isento de sentir, lembra? Mas Deus criou a pílula da superação, meus amigos... se chama TEMPO. Então, avalie a situação. Acabou, sacode a poeira, levanta a cabeça... chora, porque dói, a gente sente né. Mas se dê um tempo. Um tempo pro seu coração emocional se arrumar, porque se não a gente faz besteira. Engancha um crush no outro, e vai escalando essa montanha de gente vazia, que suga um pedaço da gente de cada vez, até o momento que não sobra mais nada de nós mesmos. 

Não que seja errado acreditar em amor. Ele existe, mas é uma construção. Leva tempo, leva conhecer, gostar, e caminhar pra isso de forma saudável. Desespero, ansiedade, urgência... são desastrosos. Por isso, para ter um relacionamento saudável, você precisa estar bem consigo mesmo. Se ame primeiro, acima de tudo. E como último conselho, um meme:


Jakisses!

Zayn Malik - talentoso e delicinha

Hey ho, pitchuletes amadinhas.

Hoje vamos falar dessa delicinha do momento, Zayn Malik (masgente, até esse nome é sexy).

Confesso que não sou muito antenada no mundo da música, e fui descobrir esse deuso há poucas semanas atrás assistindo "50 tons mais escuros" (sim, demorei pra ver também porque não deu pra ir no cinema, e falaram bem mal do filme, o que me deu preguiça também). Sou uma pessoa que é meio resistente pra experimentar coisas novas. Às vezes as pessoas me falam "Olha Jess, escuta essa música aqui", e eu "aham", abro, escuto 2 segundos e fecho hahahah (cuzona). A musica do Zayn para "50 tons mais escuros" chama Pilowtalk, e sim, já tinha ouvido. Eu chamava ela de "música do cachorrinho", porque a batidinha dela no começo parece um cachorrinho latindo. Mas sabe quando não é o momento de você ouvir? Então... 1 ano depois eu a ouvi de novo no filme e fiquei "WTF? Que música foda!".

Daí fui ver a letra, o clipe, meu SEM OR, que música 100% tesão, não é mesmo? Pra quem por milagre ainda não conhece, segue o clipe:



E pra quem tiver interessa, essa letra maravilhouser:


Pillowtalk (letra)

Climb on board
We'll go slow and high tempo
Light and dark
Hold me hard and mellow

I'm seeing the pain, seeing the pleasure
Nobody but you, 'body but me, 'body but us
Bodies together
I'd love to hold you close, tonight and always
I'd love to wake up next to you
I'd love to hold you close, tonight and always
I'd love to wake up next to you

So we'll piss off the neighbours
In the place that feels the tears
The place to lose your fears
Yeah, reckless behavior
A place that is so pure, so dirty and raw
Be in the bed all day, bed all day, bed all day
Fucking in and fighting on
It's our paradise and it's our war zone
It's our paradise and it's our war zone

Pillow talk
My enemy, my ally
Prisoners
Then we're free, it's a thin line

I'm seeing the pain, seeing the pleasure
Nobody but you, 'body but me, 'body but us
Bodies together
I'd love to hold you close, tonight and always
I'd love to wake up next to you

So we'll piss off the neighbours
In the place that feels the tears
The place to lose your fears
Yeah, reckless behavior
A place that is so pure, so dirty and raw
Be in the bed all day, bed all day, bed all day
Fucking in and fighting on
It's our paradise and it's our war zone
It's our paradise and it's our war zone

Paradise, paradise, paradise, paradise
War zone, war zone, war zone, war zone
Paradise, paradise, paradise, paradise
War zone, war zone, war zone, war zone

So we'll piss off the neighbours
In the place that feels the tears
The place to lose your fears
Yeah, reckless behavior
A place that is so pure, so dirty and raw
Be in the bed all day, bed all day, bed all day
Fucking in and fighting on
It's our paradise and it's our war zone
It's our paradise and it's our war zone



Conversa De Travesseiro (Pilowtalk - TRADUÇÃO)

Suba a bordo
Vamos devagar e rápido
Luz e escuridão
Me segure forte e calmamente

Estou vendo a dor, estou vendo o prazer
Ninguém além de você, além de mim, além de nós
Corpos juntos
Adoraria te abraçar perto de mim, esta noite e sempre
Adoraria acordar ao seu lado
Adoraria te abraçar perto de mim, esta noite e sempre
Adoraria acordar ao seu lado

Então vamos deixar os vizinhos bravos
No lugar que sentimos as lágrimas
No lugar para se perder os medos
Yeah, comportamento imprudente
Um lugar que é tão puro, tão sujo, tão bruto
Ficar na cama o dia todo, cama o dia todo, cama o dia todo
Transando e brigando
É nosso paraíso e nossa zona de guerra
É nosso paraíso e nossa zona de guerra

Conversa de travesseiro
Meu inimigo, meu aliado
Prisioneiros
Então estamos livres, é excitante

Estou vendo a dor, estou vendo o prazer
Ninguém além de você, além de mim, além de nós
Corpos juntos
Adoraria te abraçar perto de mim, esta noite e sempre
Adoraria acordar ao seu lado

Então vamos deixar os vizinhos bravos
No lugar que sentimos as lágrimas
No lugar para se perder os medos
Yeah, comportamento descuidado
Um lugar que é tão puro, tão sujo, tão bruto
Ficar na cama o dia todo, cama o dia todo, cama o dia todo
Transando e brigando
É nosso paraíso e nossa zona de guerra
É nosso paraíso e nossa zona de guerra

Paraíso, paraíso, paraíso, paraíso
Zona de guerra, zona de guerra, zona de guerra, zona de guera
Paraíso, paraíso, paraíso, paraíso
Zona de guerra, zona de guerra, zona de guerra, zona de guera

Então vamos deixar os vizinhos bravos
No lugar que sentimos as lágrimas
No lugar para se perder os medos
Yeah, comportamento descuidado
Um lugar que é tão puro, tão sujo, tão bruto
Ficar na cama o dia todo, cama o dia todo, cama o dia todo
Transando e brigando
É nosso paraíso e nossa zona de guerra
É nosso paraíso e nossa zona de guerra



Linda, né?

Agora falando mais um pouco sobre esse cantor que eu mal conheço e já curto pacas. Zayn veio do grupo nada menos que ONE DIRECTION (que eu nunca gostei, e acho que a melhor coisa que ele fez foi buscar carrreira solo). Nascido em 12 de janeiro de 1993 (maior de idade, podemos pegar rs), Zayn tem seus 25 lindos aninhos, uma voz maravilhosa, e um talento inovador. 

Em 2010, com apenas 17 anos de idade, Malik fez uma audição na cidade de Manchester para conseguir um lugar na sétima temporada do The X Factor, um reality show britânico de competição de canto. O jovem havia se inscrito para fazer uma audição para a sexta temporada do programa de televisão, contudo, devido a um ataque de nervos, acabou desistindo antes mesmo de poder se apresentar aos membros do jurado.

Depois, formou uma boy band com mais 4 integrantes, conhecida como One Direction. Em 25 de Março de 2015, foi anunciado que Malik não seria mais um integrante dos One Direction, tendo apontado o desejo de viver como um "jovem normal de 22 anos de idade que tem tempo suficiente para relaxar e gerir uma vida privada fora do estrelato" como o motivo para sair da banda.

Em Janeiro de 2016, o cantor foi a capa da versão norte-americana da Billboard. No artigo publicado na revista, Malik revelou que estava finalmente a compor temas e a fazer coisas de que gostava. "Eu venho até aqui [ao estúdio] e gravo sete canções por noite... Eu não estou mais a me censurar, então não fico cansado. Eu amo isto." "Pillowtalk", o primeiro single de Mind of Mine, foi lançado em fins de Janeiro de 2016 juntamente com o seu vídeo musical.

Ebaaagens do deuso proceis:





Outras músicas maravilhosas dele são "I Don't Wanna Live Forever" que ele fez com a Taylor sem sal Swift e "Dusk Till Dawn" com a senhora Sia. São MARAVILHOSAS também ( deve ser ele que dá sabor pras músicas mesmo):







Ai ai, fiquei até sem ar.

E vocês, conheciam essa oobra da natureza?

Jakisses!!!!

Parar de tomar a pílula anticoncepcional

Hey ho pitchuletes amadinhas.

Hoje vamos falar da moda feminista da vez:  parar de tomar a pílula anticoncepcional.

Falo que é moda feminista, porque são mulheres bem esclarecidas que começaram a se questionar se os benefícios da pílula valiam mais que os prejuízos. E se a indústria farmacêutica, que sabemos bem o quanto é sanguinária, não estaria junto com médicos enfiando hormônios a nossa goela abaixo sem se preocupar realmente com nossa saúde. 

Eu mesma aqui no blog já defendi o uso da pílula, e ainda não a vejo como uma vilã. A pílula foi um avanço na autonomia da mulher em decidir se e quando ter filhos. Com o tempo, ela foi melhorada e passou a ajudar a mulher a controlar seu ciclo menstrual, regular acnes severas, pelos, reduzir a cólica entre outros benefícios. E ela serviu bem à função que veio. Porém, ela é de uma época onde as mulheres eram ainda mais podadas pela sociedade (porque hoje ainda são, só um pouco menos), e tudo em seu corpo era um tabu (embora hoje muita coisa ainda seja), então elas não conheciam seu corpo como conhecemos hoje.

Além disso, a pílula atualmente serve como obrigação. A mulher se torna a 100% responsável pela prevenção da gravidez. Engravidou? Ela não tomou a pílula direito. E o homem? Os métodos contraceptivos que dependem deles se resume à camisinha, e mesmo assim muitos usam que nem o nariz. O resto é DIU, diafragma, anel vaginal, implante, adesivo... TUDO MÉTODO FEMININO. Ou seja, a concepção é total preocupação e responsabilidade da mulher. E daí pensamos: a mulher tem um óvulo por mês, e o homem milhões de espermatozoides por ejaculação. Cabe bem a frase que inventaram:  a mulher cuidar da concepção é como por colete a prova de balas na vítima ao invés de tirar a bala da arma.

Enfim, não quero dizer aqui que a mulher tem que tacar o foda-se e não cuidar da concepção. Como esse mundo é cruel conosco, se não queremos filhos no momento ou na vida ( que é nosso direito), é importante que nos cuidemos sim. Mas como o assunto do post é a pílula, vamos falar mais dela. Entre os malefícios estão a queda da libido, secura vaginal, aumento da probabilidade de câncer de mama e trombose, aumento de peso, dores de cabeça, náuseas, depressão, entre outras coisas horripilantes que você pode ler na bula que é gigante e cair pra trás. Vi esses dias no facebook a mulherada postando: Criamos a pílula masculina, mas ela dá câncer, trombose, depressão e te deixa broxa. Vai querer tomar? Bom, a mulher toma. E pior que é uma triste ironia.

Isso não quer dizer que a mulher vai realmente ter todas essas reações. Tem mulher que se dá muito bem com a pílula, e isso é ótimo. Porém eu fui usuária da pílula por 5 anos, e vou contar pra vocês o que me fez decidir parar de tomar. Pra mim a pílula foi super eficiente. Em 5 anos, o sangramento por privação hormonal (porque o sangue de quem toma pílula cientificamente não é considerado menstruação) nunca me falhou, que delícia saber quando ia menstruar, sem aqueles ciclos irregulados de até 35 dias que eu tinha. Minha médica me disse que eu tinha ovários policísticos (aliás, toda mulher que eu converso diz que tem também, será que é algo natural então? kkkk), e que eu tinha espinhas (mas eu não tinha muitas não) e ciclo zuado por causa disso. Ok! 

E que delicia transar sem precisar parar pra por camisinha, e ficar checando depois se tava tudo certo, se não tinha estourado e pá. E que delícia não ter mais aqueles espinhões inflamados que vez ou outra na tpm me aparecia nas costas. E que delícia não sentir cólicas. Até que alguns pesadelinhos começaram...

Primeira coisa:  secura vaginal. Comecei a ter infecção urinária por isso TODO MÊS. Mas blá né, só trocar de pílula. Troquei, beleza, melhorou. Mas minha lubrificação permanecia péssima. Até que percebi com o passar do tempo que minha libido despencou. Mas e daí? Eu tava livre da preocupação com gravidez né. Até que começou a aparecer vasinhos nas minhas pernas, pequenos. Problema de circulação? Nah, nada demais, nem da pra ver. Até que engordei muito, e passei a fazer academia e tals, mas tinha uma grande dificuldade de emagrecer porque a pílula quase zera nossa testosterona (sim, mulher precisa da testosterona também, e a falta dela acaba com a libido e os músculos). Mas tudo bem, meu ciclo tava regulado. Até que meu cheiro de suor ficou mais forte, e até minhas virilhas cheiravam a cecê. Mas tudo bem, passa creminho, desodorante, flogo-rosa... Até que um monstrinho que eu não podia suportar veio pesar MUITO na balança.

A tal da candidíase apareceu um ano aí. A pílula aumenta o açúcar no sangue por causa do estrogênio sintético. Tratei com pomadinha e pá, passou. No ano seguinte, a danada da coceira de novo, que inferno. Bora tratar, tchau. E no ano seguinte de novo. Até que esse ano ela já me apareceu 3 vezes, e não queria ir embora nem com fluconazol nem com pomada. E eu não suporto a coceira, o desconforto...

Aí eu já tava meio afim de experimentar meu corpo sem pílula por um tempo, pra ver se a testosterona voltava e eu conseguia emagrecer, aumentar a libido, e pá. Aí larguei. Faz 4 dias que não tomo pílula, e o que eu percebi? Primeiro, a coceira cedeu, acabou (pode ser psicoemocional, não sei). Segundo, o meu cheiro de suor suavizou, e o cheiro na virilha sumiu. Isso com 4 dias. Imagina quando meu corpo realmente se limpar do hormônio?

Sem contar o pé no saco das interações medicamentosas. Antibiótico corta ou não corta efeito da pílula? Ninguém sabe, médico diz que sim, outro que não. Toda vez que fica doente, vomita, diarreia, pronto, ai senhor, já era a pílula. A pílula também dá uma zerada nas vitaminas do nosso corpo, como a B6 se não me engano. Enfim gente, é muita coisa pra pesar. Mexer com hormônio é complicado.

Mas como faz então pra não engravidar? Bom, a treta é bem grande. A mulherada anda optando pelo DIU que é bem eficiente e tem a versão de cobre não hormonal. Porém quem tem probleminha de cólica que nem eu, não é uma boa ideia, pois dizem que aumenta muito a dor, e jorra sangue pra caraaaleo na menstruação. Tem uma mulherada usando tabelinha, ou o método de Billings (não sei se é assim que escreve). Esse método tem como princípio aprender a ler os sinais do corpo pra saber quando se está fértil. Isso tudo através do muco cervical, aquela salivinha que sai da nossa vagina sabe? Quando ele ta parecendo clara de ovo, é que dizem que estamos super férteis. Daí você evita a transa. Além do muco, da pra observar pela altura do colo do útero, temperatura do corpo, humor e tals. 

Enfim, tem a boa e velha e pra muitos chata camisinha. "Ah mas eu tenho alergia". Olha, tem vários tipos no mercado, de materiais alternativos ao látex. Vale a pena conferir. 

O que eu pretendo fazer? Camisinha e esse método de auto observação por enquanto. Associar os dois parece bem eficiente ao meu ver. Mas vou fazer isso até ter uma graninha e tempo pra ir num endócrino. Talvez haja alguma saída hormonal para o meu caso, que não me cause tantos prejuízos (vasinhos, cheiro forte, candida, sobrepeso). Isso se meu ciclo ainda for zuado depois de cinco anos de "tratamento" de pílula (afinal, dizem que a pílula trata os ovários policísticos né). 

Mas atenção pitchulete. Se você está pensando em largar a pílula também, saiba que tem efeitos colaterais. É como largar uma droga mesmo. Pode dar tristeza, menstruação desregulada, algumas dizem que tiveram retenção de líquido, espinhas loucas, etc. Mas com o tempo passa. Demora 6 meses mais ou menos pro seu corpo voltar ao "normal". Ainda não me aconteceu nada assim, vamos ver como eu me saio. Só não queria mais viver sem vontade de nada como eu estava, e doente, doente, doente.

E você, pitchulete, que adora sua pílula, e se dá super bem, que ótimo. Você tem que recorrer ao que te faz bem mesmo. E que continue tudo indo bem com você.

Finalizando, eu espero que esse movimento de mulheres que não querem mais abdicar de libido e saúde por contracepção hormonal sirva pra indústria científica e farmacêutica mexer o cuzinho e melhorar os métodos ainda mais, com o intuito de beneficiar mesmo a mulher, e não só dar a ela a responsabilidade de cuidar sozinha da contracepção e de oferecer em troca da saúde benefícios que a fazem mais bonita para deleite masculino.

Jakisses!

Propósitos

Estamos aqui pra algum propósito?

Isso se parece com um grande abismo, onde caimos todos os dias sem nos perguntar por quê.
Uma vida se baseia em esperar a morte? Porque é o que as pessoas fazem todos os dias.

Estamos correndo contra o tempo, sempre esperando por um único momento feliz. Estamos batalhando tanto contra coisas que não existem, coisas que não fazem sentido, coisas que não precisamos, coisas que nem queremos, mas estamos ali, logo cedo, no primeiro raiar do sol, de pé, cansados, reclamando, mas ali, sem realmente lutar pelo que devíamos.

E essa rotina compulsória nos devora, e nós não paramos para amar, para sentir, para querer, para falar o que realmente importa. E a carga tão pesada em nossas costas nos faz dizer coisas que não queríamos, e a gritar por ajuda, e esse grito soa como um insulto, quando na verdade não queremos ferir ninguém... só queremos que olhem pra nós e pensem "eu podia ter feito diferente".

A dor atualmente é tão comum, que virou um sentimento controverso, algo que ta legal, tudo bem, ta ali, eu tenho q ignorar e seguir em frente. E se não há como seguir, porque ela nos tira as forças nas pernas, quando não é mais possível caminhar, narcóticos fazem o serviço viciante de nos levantar como zumbis, e então podemos continuar juntando o que os outro precisam, mas nunca buscando o que nós realmente precisamos.

Somos tão pequenos e restritos a esse mar de solidão poética? Somos a engrenagem que gira e ignora seu lado humano com remédios e provérbios inúteis que incentivam uma semi-vida. Que incentivam sobreviver e agradecer pelo pouco que temos. Que incentiva o silêncio e a submissão. E que nos faz esquecer a pergunta mais importante de nossas vidas: O que eu quero pra mim?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...